Artigos e notícias

Repelentes de Insetos: Capítulo 25

Lançamento do livro Ativos Dermatológicos

As Principais Endemias Brasileiras Transmitidas por Mosquitos

Os insetos podem se tornar um problema ou até uma ameaça ao homem e animais, podendo causar infecções e transmitir doenças muito perigosas. Algumas doenças graves transmitidas por insetos são a malária, a dengue, a febre amarela e a encefalite. Os chamados “repelentes de insetos” são à base de substâncias químicas que têm o propósito de afastar os insetos e evitar suas picadas.

Atualmente, as principais endemias brasileiras transmitidas por mosquitos são a dengue, a febre pelo vírus Zika e Chikungunya. São transmitidas, principalmente, pelo Aedes aegypti. O controle desta endemia é dificultado pela falta de vacina e à grande adaptabilidade dos mosquitos ao ambiente urbano.

A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em 1986. Estima-se que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente no mundo.

O Zika é um vírus transmitido pelo Aedes aegypti e identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015. O vírus Zika recebeu a mesma denominação do local de origem de sua identificação em 1947, após detecção em macacos sentinelas para monitoramento da febre amarela, na floresta Zika, em Uganda.

A Febre Chikungunya é uma doença transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. No Brasil, a circulação do vírus foi identificada pela primeira vez em 2014. Chikungunya significa "aqueles que se dobram" em swahili, um dos idiomas da Tanzânia. Refere-se à aparência curvada dos pacientes que foram atendidos na primeira epidemia documentada, na Tanzânia, localizada no leste da África, entre 1952 e 1953.

A Dengue e a Chikungunya têm sintomas e sinais parecidos, enquanto a Dengue se destaca pelas dores nos corpo, a Chikungunya se destaca por dores e inchaço nas articulações. Já a Zika se destaca por uma febre mais baixa (ou ausência de febre), muitas manchas na pele e coceira no corpo.

Confira na tabela a seguir as principais características de cada doença:

Doença Sintomas Perigos e Complicações
Dengue O primeiro sintoma da dengue é a febre alta, entre 39° e 40°C. Tem início repentino e geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira no corpo. Pode haver perda de peso, náuseas e vômitos. A principal complicação é a desidratação grave, que ocorre sem a pessoa perceber. Por isso, é importante tomar bastante líquido quando a pessoa estiver com dengue. Na dengue hemorrágica, no início, os sintomas são iguais aos da dengue clássica, mas após alguns dias, há sangramento em vários órgãos.
Chikungunya Apresenta sintomas como febre alta, dor muscular e nas articulações, dor de cabeça e exantema (erupção na pele). Os sinais costumam durar de 3 a 10 dias. A principal complicação é a permanência, por longo tempo, das dores e inchaço nas articulações, às vezes impedindo as pessoas de retornarem às suas atividades.
Zika Tem como principal sintoma o exantema (erupção na pele) com coceira, febre baixa (ou ausência de febre), olhos vermelhos sem secreção ou coceira, dor nas articulações, dor nos músculos e dor de cabeça. Normalmente os sintomas desaparecem após 3 a 7 dias. As complicações mais observadas têm sido as manifestações neurológicas como paralisia facial e fraqueza nas pernas, a exemplo do desenvolvimento da Síndrome de Guillain-Barré.

Os sintomas podem ser parecidos, mas o tratamento é diferente para cada doença. Vá ao pronto socorro se estiver com os sintomas. Evite a automedicação. Remédios à base de ácido acetilsalicílico, como a Aspirina, e outros anti-inflamatórios, não devem ser utilizados no tratamento, isso porque a dengue causa alterações no sangue e o uso desses tipos de medicamentos podem levar a manifestações hemorrágicas nos pacientes. A maioria dos focos desses mosquitos é encontrada em residências e imóveis comerciais. Daí a importância da participação da população no controle desta doença

Enquanto não existem vacinas, nem métodos de combate ao vírus, um dos meios de se evitar a proliferação da doença, é não deixar água acumulada e parada. Verifique, constantemente, os vasos, pratos para plantas, pneus, garrafas, caixas d’águas destampadas, etc.

Apesar de que a única forma de evitar as três doenças é com o combate ao mosquito, é através da eliminação dos criadouros do mosquito nas casas, no trabalho e nas áreas públicas, podemos utilizar repelentes para manter os mosquitos afastados.

Referências Bibliográficas

O1. BAHIA. Secretaria da Saúde. Saiba mais sobre dengue, chikungunya e zika. Disponível em: Acesso em 16 mar. 2016.

2. BRASÍLIA. Brasil. Saúde. Saiba mais sobre dengue, chikungunya e zika. 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2016.

3. Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo. Campanha contra dengue, chikungunya e zika. Disponível em: Acesso em 16 mar. 2016.

4. SÃO PAULO. Secretaria da Saúde. SUCEN - Superintendência de Controle de Endemias. Programas. Dengue. 2016. Disponível em: Acesso em 16 mar. 2016.

A seguir podemos verificar as substâncias e produtos mais utilizados como repelente atualmente. Confira as características de cada substância no livro Ativos Dermatológicos – Dermocosméticos e Nutracêuticos – 9 Volumes.

Crodamazon Andiroba (Croda)

DEET (Clariant)

Drago-Repel-X (Symrise)

Icaridina (Lanxess)

Lemon Tea Tree Extract (Lucas Meyer)

Óleo Essencial de Citronela (WNF) (Mapric)

Repelente de Insetos 3535 (Merck)

Visite a Loja