Artigos e notícias

Adjuvantes Cosméticos ÉSTERES

Cosmetologia Genética


  • 21 de Dezembro, 2016
Introdução Geral
A química do éster é simples em seu conceito químico básico. Um álcool orgânico reage com um ácido orgânico para produzir um éster e água, que é destilada para obter o puro éster. Estruturalmente, isso pode ser descrito como:
Adjuvantes Cosméticos ÉSTERES
Onde R e R¹ são alquila, alcoxila, alquil aril ou outras frações. O que foi descrito é um éster simples formado de um álcool orgânico simples (um grupo hidroxila) e um ácido orgânico simples (um grupo carboxila). Pode apresentar outras formações, como por exemplo:
  • Um diéster formado por dois grupos hidroxila e um grupo carboxila;
  • Um diéster formado por dois grupos carboxila e um grupo hidroxila;
  • Um éster complexo formado por um composto orgânico contendo múltiplos grupos hidroxila – glicerina ou poliglicerina são exemplos – e um ácido orgânico contendo um grupo carboxila. Esse pode ser substituto mono, di, tri, etc.;
  • Um éster complexo formado por um composto orgânico contendo múltiplos grupos carboxila – ácido cítrico é um exemplo – e um álcool orgânico contendo um grupo hidroxila para formar mono, di, tri ésteres substitutos.
As formações tornam-se cada vez mais complexas depois dessas considerações. Podemos formar poliésteres a partir de uma reação entre ácido dicarboxílico com álcool dihidroxila. Poliésteres reticulados contêm múltiplos carboxila e hidroxila. No entanto, para os propósitos de utilização de ésteres para aplicações práticas, esse breve resumo é suficientemente compreensivo.


Aplicações dos Ésteres:
Dentro das descrições gerais sobre aplicações dos ésteres, podemos considerar:


Ésteres Secos
Existem ésteres que são denominados “secos” por causa de sua sensação inicial de leveza quando aplicado na pele. O éster PELEMOL P-810 (INCI: Polypropane Dicaprylate/Dicaprate) é um exemplo excelente de um éster derivado 100% vegetal, que apresenta toque “seco”. Pode funcionar como um solvente de extração, para que um extrato botânico específico possa ser gerado como um produto 100% derivado vegetal. PELEMOL IN-2 (INCI: Isononyl Isononanoate (and) 2-Ethylhexyl Isononanoate) é outro exemplo de éster “seco”. Esses ésteres podem ser usados em formulações de emulsões para pele ou em produtos de maquiagem onde esta propriedade é desejável. Outro éster seco surpreendente é o PELEMOL EA (INCI: Ethyl Argonate). Esse éster é derivado do óleo de argan e é 100% derivado vegetal. Além disso, PELEMOL 899 é um bom solvente e pode atuar como cossolvente quando é necessário adicionar uma fração de água no óleo, por exemplo.


Ésteres para Massagem
Produtos para massagem requerem ésteres que permaneçam na pele para formar uma camada oleosa, fazendo com que a massagem seja continua e deslizante sobre o corpo, com um toque oleoso suave e não pegajoso. O PELEMOL TMPO (INCI: Trimethylolpropane Triethylhexanoate) é um exemplo de éster que pode ser usado em emulsões para massagem. Enquanto PELEMOL TMPO é um derivado sintético, um éster 100% derivado vegetal, como PELEMOL TGC (INCI: Trioctyldodecyl Citrate), pode ser usado para o mesmo propósito.


Batom, Gloss e Bálsamo Labial Ésteres
Nestas formulações, onde os produtos devem permanecer somente nos lábios sem que se arrastem para fora (transfer resistant), ésteres com uma leve aderência são desejáveis. Um estudo realizado nos laboratórios da Phoenix Chemical sobre a resistência e transferência dos batons - transfer resistant – comprovou a efetividade dos ésteres em formulações com características Transfer-Proof. Outros produtos da linha Phoenix: PELEMOL P3D, PELEMOL GTB, GIOVAREZ 1800, GIOVAREZ BTB-50, e PECOSIL G-5 podem melhorar a fórmula do batom e evitar a transferência para fora dos lábios (transfer resistant). PELEMOL P3D é um éster excelente, 100% derivado vegetal, usado para tal propósito. PELEMOL DP-144B (INCI: Dipolyhydroxystearate Dibehenate) também é usado para incorporação na base de batom, além de ser um excelente substituto para lanolina anidra, reconhecida pela alta alergenicidade. PELEMOL CR (INCI: Cetyl Ricineolate) e PELEMOL GTIS (INCI: Glyceryl Triisostearate) geram a cremosidade do batom.


Hidratantes
Cremes hidratantes para a pele podem ser feitos com o uso dos ésteres de alfa-hidroxiácidos. PELEMOL OL (INCI: Oleyl Lactate) é um ótimo exemplo de um éster hidratante de qualidade superior. Ao ser espalhado na pele por 30 segundos, PELEMOL OL transmite uma sensação suave, cerosa, aveludada, em áreas secas da pele. Estudo realizado com o ativo mostra uma melhora drástica do ressecamento da pele em 90% ou mais, em apenas 30 segundos. O estudo mostrou que o PELEMOL OL, além de hidratar a pele, também fornece substantividade. PELEMOL OL também foi estudado para condicionar o cabelo.


Dispersantes de Pigmentos
Certos ésteres como o PELEMOL TGC, por exemplo, são efetivamente agentes molhantes e dispersam pigmentos para usar em batom e outros produtos. Outros ésteres, PELEMOL ICB (INCI: Isocetyl Behenate) e PELEMOL 6GPR (INCI: Polyglyceryl-6 Polyricinoleate) e PELEMOL PHS-8 (INCI: Polyhydroxystearic Acid) também funcionam muito bem. PELEMOL 6GPR desenvolve dispersibilidade com menor viscosidade, permitindo uma carga de pigmento mais elevada.


Potenciadores e Construtores de Viscosidade
Tanto o PELEMOL BB (INCI: Behenyl Behenate) quanto o PELEMOL GMB (INCI: Glyceryl Behenate) têm a função de estabilizar cremes quando adicionados na fase de óleo. Eles agregam riqueza aos cremes. PELEMOL GMB também funciona como emulsificante, potenciando, assim, a estabilidade da emulsão.



Máscara para os Cílios
Ésteres usados em máscaras para os cílios precisam ser resistentes à água enquanto provém dispersão de pigmentos para potencializar o alongamento dos cílios. PELEMOL 6GPR (INCI: Polyglycerine-6 Polyricinoleate) é efetivo, juntamente com o PELEMOL CR (INCI: Cetyl Ricinoleate) e PELEMOL GTAR (INCI: Glyceryl Triacetyl Ricinoleate). Uma máscara para os cílios que alonga e modele, que seja resistente pode ser associada ao produto GIOVAREZ BTB-50, GIOVAREZ P-0580, e PECOGEL H-12/PF que funcionam como polímeros resistentes à água.


Substitutos para o Ciclometicone D5
PELEMOL D5R-V (INCI: Propanediol Dicaprylate/Caprate (and) Diisostearyl Malate) foi desenvolvido especificamente como um substituto do Pelemol D5, 94% derivado vegetal. Possui as mesmas características de solubilidade e propriedades tácteis do D5. Outro recente éster desenvolvido, PELEMOL EC (INCI: Ethyl Canolate) é um derivado 100% vegetal e é surpreendentemente similar ao D5 nas propriedades tácteis. Possui baixo peso molecular como os fluidos de silicone. Observação: Para o conhecimento do autor, não há outro éster 100% derivado vegetal que possua tais propriedades.



Maquiagem em Pó
A incorporação dos ésteres que se fundem à temperatura da pele, como o 100% derivado vegetal PELEMOL ISB (INCI: Isostearyl Behenate) e 100% derivado vegetal PELEMOL OE (INCI: Octyldodecyl Erucate), ésteres secos, permite uma absorção inicial e uma espalhabilidade gradual do pó em todo o rosto. Estes ésteres fornecem um resultado sedoso e seco ao produto final. PELEMOL EC (INCI: Ethyl Canolate) pode ser usado para fornecer suavidade e sedosidade ao pó.


Substitutos Derivado-Vegetais para Fluidos de Silicone Substitutos 100% derivado-vegetais para fluidos de silicone foram desenvolvidos, mas mantêm as características de viscosidade e solubilidade dos silicones. O substituto 100% derivado vegetal para o dimethicone 20 cts (centistokes), 100 cts, 350 cts e 1000 cts são: PELEMOL SR-20, SR-100, SR-350, SR-1000, respectivamente.
Os produtos do PELEMOL SR são: PELEMOL SR-20 (INCI: Coco-Caprylate/Caprate (and) Trioctyldodecyl Citrate) PELEMOL SR-100 (INCI: Coco-Caprylate/Caprate (and) Dimer Dilinoleyl Dimer Dilinoleate) PELEMOL SR-350 (INCI: Coco-Caprylate/Caprate (and) Dimer Dilinoleyl Dimer Dilinoleate) PELEMOL SR-1000 (INCI: Coco-Caprylate/Caprate (and) Dimer Dilinoleyl Dimer Dilinoleate) PELEMOL SR-100, SR-350, AND SR-1000 PELEMOL SR-100, SR-350 E SR- 1000 diferem entre si na proporção de seus respectivos componentes para atingir a viscosidade adequada e equalizar-se com a viscosidade de silicones. São ésteres que ajudam a aumentar a solubilidade de outros componentes da formulação e proporcionam alto brilho quando comparados aos silicones.


Éster Derivados 100% Vegetais – Substitutos para os Óleos Minerais
São misturas de ésteres criados para mimetizar a solubilidade, a viscosidade e o sensorial dos óleos minerais, sem apresentar irritação ou sensibilização, pois são hipoalergênicos. PELEMOL MOR-1 (INCI: Dilinoleic Acid / Propanediol Copolymer (and) Propanediol Dicaprylate / Caprate) PELEMOL MOR-3 (INCI: Dilinoleic Acid / Propanediol Copolymer (and) Propanediol Dicaprylate / Caprate) PELEMOL MOR-4 (INCI: Coco-Caprylate/Caprate (and) Dimer Dilinoleyl Dimer Dilinoleate) PELEMOL MOR-5 (INCI: Coco-Caprylate/Caprate (and) Dimer Dilinoleyl Dimer Dilinoleate) São substitutos efetivos para óleos minerais variando sua viscosidade em 16 cps (MOR-1), 94 cps (MOR-3), 16 cps (MOR-4) para 90 cps (MOR-5).



Ésteres emolientes
Existem vários ésteres emolientes, mas dois se destacam pela qualidade: PELEMOL P-49 (INCI: Pentaerythrityl Tetraisononanoate) e PELEMOL D-899 (INCI: PPG-26 Dimer Dilinoleate Copolymer (and) Isononyl Isononanoate (and) Ethylhexyl Isononanoate). Outros ésteres que devem ser considerados são PELEMOL ISB (INCI: Isostearyl Behenate), PELEMOL II (INCI: Isostearyl Isostearate), PELEMOL EE (INCI: Octyldodecyl Erucate). Existem, literalmente, mais de cem ésteres em uso e em desenvolvimento. Prevejo a criação de vários outros ésteres nos próximos anos, em resposta a demanda industrial para os ésteres derivados vegetais e quaisquer outras exigências de mudança tecnológica.




Confira este e outros artigos no livro Ativos Dermatológicos: Dermocosméticos e Nutracêuticos: 9 Volumes

Visite a Loja